Violar Direitos Autorais é Crime e pode levar à prisão (Art. 184 do CPB). Não copie textos, em prosa ou verso, e ou fotos sem mencionar o autor e a fonte.


Autores


Aline Silva


Amarilis Paizini Aires


Ana Garjan


Andrade Sucupira

(pai in memorian)


Andrade Sucupira Filho


Antônio Tavares


Ataíde Lemos


B


Célia Regina Queiroz


D


Emilia Mitsue


Flávia Fontes


Flávio Cardoso Reis


Geni Sobreira


Gilsanjes


H


Isabel Sanches


Isabela Braz


J


K


Lúcia Biazetto


Leila Soares


Marisa Pasternak


N


Osvaldo Heinze


P


Q


Roberto P.A. Pereira


Rosa Helena


Rose Tunala


Sandra Maria


Socorro Fernandes


Solange Malosto


Tales Tavares


Telma Maria Azevedo


U


V


Wilson Coêlho


X


Y


Zedânove Tavares


índice de autores


Capa

Pesquisa personalizada

Ataíde Lemos


Uma história de amor

O tempo a tempo passou
Mas ainda és hoje
A de ontem
E será a de amanhã.

Ainda jovens quase crianças
Quando os dois olhares
Se encontraram
Logo se amaram.

Os sonhos, as fantasias
Faziam parte do dia a dia
Porém pouco a pouco
Transformava realidade
No viver dos dias.

Castelos levantaram e caíram
Sonhos se foram
Outros surgiram
E assim, pouco a pouco
Entre lágrimas e sorrisos
Fazemos de nossas vidas
Uma história de amor.

 

Coisas do coração

Não posso transformar meu coração
Fazer dele a minha decisão
Quando ele ama, só ele entende
Por isso que se diz; são coisas do coração.

Ainda que busque subterfúgios para enganá-lo
Tem momentos que bate forte, parece falar
Não há como querer afugentar ou se esconder
Porque senão ele vai gritar.

Coisas do coração, sentimentos e paixões
Que dá o norte da vida
Faz caminhar para uma só direção.

Coisas do coração, que a razão
Não consegue enganar
Não há o que fazer
Quando ele resolve amar.


 

A ti meu Deus

A ti meu Deus
Entrego meu coração
Coloco-me em Tuas Mãos
Para que seja moldado.
E assim, transformado.

A ti meu Deus
Entrego o meu viver
Entrego todo meu Ser
És a fonte de água limpa
Por onde brota a vida.

A ti meu Deus
Deposito minha confiança
Quero ser como uma criança
Que sabe que no colo da mãe
Está protegida dos perigos da vida.

A ti meu Deus
Entrego tudo que sou
Minhas falhas, meus pecados
Para que seja lavado
E um novo homem
Surja restaurado.

 


Recordações

Volto ao tempo
E a saudade vem
Parece que foi ontem
Que era uma criança
Alegre, feliz,
Repleta de esperança.

Lembro cada um de meus amigos
Todas as artes que fazia e fazíamos
Os sonhos, as fábulas, fantasias
Que acreditava um dia
Poder realizá-las
Algumas delas tinha certeza
Que eram de verdades.

Castelos na areia construí
Que os anos
Encarregaram de desmoronar
Mas que estão sólidos
E são responsáveis
De me fazer sonhar
E em meus versos poetar.

Vivi minha idade
Com toda intensidade
Hoje quando volto no passado
Vem em minha mente
Lembranças das histórias vividas
Que permanecem em minha vida
Belos momentos
Que ficarão comigo guardados
Até o fim de meu tempo.


Vento

O vento leva
O vento traz
O vento espalha no ar.
E em cada ponto
Faz surgir a vida
Ao lançar sementes
Germinando flores
Que aromatizam com perfumes
E transforma em beleza
Toda a natureza.

O vento faz a alegria da criança
Que levanta seu brinquedo de papel
Dando linha pra bem longe voar
Quanto mais alto no céu
Mais festa, sonhos, fantasias
E sorrisos em seu olhar.

O vento espalha no ar
Pelas suas ondas
Lindas canções
Como também a poesia.
Que embala os corações.


Eterna procura

Nas estrelas vivo lhe procurar
Uma a uma fico a tua busca
Qual delas você possa estar?
Em nenhuma consigo te encontrar.

Estendo meu olhar para o azul do mar
Olhando para o seu infinito
Na esperança que possa te ver
Mas somente águas avistar.

Fico horas e horas
Direcionado para o brilho do luar
Acredito que no clarão da lua
Sua imagem nela possa refletir
Mas lá também não está

Procuro no aroma da flor
O perfume que me encantou
Na beleza de cada um delas
Fico na procura deste amor.

Busco na canção, na poesia
Detalhes desta grande paixão
Deste sentimento que me transformou
Sendo tão lindo e de repente
Com um clicar a luz se apagou.

Ataíde Lemos


 

Não me peças isto

Não me peças pra te esquecer
Nem ouça me fazer este pedido
Jamais ousas algo neste sentido
Enquanto existir, este amor quero viver.

É muito forte o que sinto por ti
Talvez não tenha noção e dimensão.
Do pedido que faça ao meu coração
Meus sentimentos são donos de si

O amor quando a alma invade
Constrói suas próprias verdades
Por conseguinte faz a sua razão.

Então, pedir pra te esquecer
É certamente não conhecer
O grande amor que sinto por você.

Ataíde Lemos

 


 

Doce ilusão

Doce ilusão é dormir
Ter um sonho lindo
Uma forte emoção sentir.
E despertar sorrindo
Tendo um belo dia para viver. .

Doce ilusão é estar alegre
Cultivando um belo sentimento
Mesmo que somente em pensamento.

Doce ilusão é caminhar
Entre flores, perfumes
E sentir o prazer em nele estar
Mesmo que amanhã
As flores irão murchar
E o perfume se esvairá. .

Doce ilusão é acreditar num sonho
Correr atrás, vive-lo cada instante
Mantendo acesa constante
A chama da esperança
Que ele vai se realizar.

Ataíde Lemos

 


 

Contador de histórias

"Sou um contador de história
Levo alegria e tiro sorrisos
Induzo à muitas imaginações
Provoco perguntas e exclamações

Sou um contador de história
Procuro reviver a memória
Trazer contos e causos
Num linguajar que se faz entender
E entreteriter, tirar gargalhadas
Deixando mensagens marcadas

Sou um contador de história
Mexo com o Ser criança
Alimento a esperança
De cidade em cidade
Independente a idade.
Usando da diversidade
Vou desnudando a fantasia
Em cada rosto vendo a alegria
Nos personagem que se cria

Sou um contador de história
De lugar em lugar
Vou deixando minha marca
Presente viva na lembrança
Registrando cada infância
Construindo bordões
E personagens que permanecerão
Pelas gerações

Sou um contador de história
Não perco a oportunidade
De trazer à tona a realidade
Satirizando os contextos sociais
No dialeto, no jeito de expressar
Uma forma de criticar
Levando o publico a pensar. "

Ataíde Lemos

 

índice de autores